SALVADOR DESTINATION
SALVADOR DA BAHIA
Português Inglês Espanhol

Templos Católicos

Templos Católicos

Diz “o ditado popular” que Salvador tem uma igreja para cada dia do ano. Muitas dessas igrejas, construídas entre os séculos XVI e XIX, tiveram papel importante na povoação da cidade e são verdadeiros relatos da história, da cultura e da arte de Salvador.

 

Igreja de Nossa Senhora da Graça

A Igreja e Abadia de Nossa Senhora da Graça erguem-se no local da primitiva ermida mandada erigir pela devoção da índia Catarina Paraguaçu, mulher do português Diogo Álvares, o Caramuru, em 1535, no antigo povoamento denominado Vila Velha, hoje bairro da Graça, em Salvador da Bahia. Possui destaque arquitetônico como a fachada barroca e a caixa seiscentista, assim como os tetos da capela-mor e da nave produzidos por pelo pintor Manoel Lopes Rodrigues e executados em 1881. Além disso, a fonte de Nossa Senhora da Graça, localizada em frente à igreja, ganha destaque. 

Endereço: Avenida Princesa Leopoldina, n°133, Graça
Telefone: (+55 71) 3247-4670
Celebrações: segunda-feira a sábado às 7h. Domingo, às 18h


Igreja de Nossa Senhora da Vitória

Estima-se que a primitiva Igreja de Nossa Senhora da Vitória tenha sido construída antes de 1534. A frente, que originalmente era voltada para o mar, foi invertida. Em 1910, a fachada foi reformulada com incorporação de elementos de estilo neoclássico. A igreja abriga um grande acervo de imagens barrocas. 

Endereço: Praça Rodrigues Lima, s/n, Largo da Vitória
Telefones: (+55 71) 3336-9738 / 3336-5620
Site: www.paroquiadavitoria.org.br
Celebrações: de segunda a sexta, às 7h e às 8h. Sábado, às 7h, 8h e 17h. Domingo, às 7h30, 9h, 11h30, 18h e 19h30


Igreja Basílica da Conceição da Praia

A Igreja Basílica de Nossa Senhora da Conceição da Praia, uma das paróquias mais antigas de Salvador, foi pré-fabricada em Portugal utilizando pedras-sabão que foram numeradas para facilitar a posterior montagem. Possui características da arquitetura do Alentejo.

Endereço: Rua da Conceição da Praia – Igreja, s/n – Comércio
Telefone: (+55 71) 3243- 7219
Visitação: segunda-feira, sábado e domingo, das 7h às 12h. Terça a sexta-feira, das 7h às 17h. Entrada gratuita.


Igreja Basílica do Bonfim

Um dos principais símbolos da religiosidade baiana. Sua construção foi realizada entre os anos de 1746 e 1772, no alto da Colina do Bonfim. Destacam-se os azulejos de Lisboa com cenas da vida de Cristo, os painéis de Francisco Velasco, os ricos adornos em prata, o Museu dos Ex-Votos e a Sala dos Milagres, além do gradil repleto de fitas coloridas que eram chamadas de “medida” e colocadas pelos devotos ao Senhor do Bonfim. 

Endereço: Praça Senhor do Bonfim, s/n – Bonfim
Telefone: (+55 71) 3316-2196
Visitação: Diariamente, das 6h30 às 18h
Entrada gratuita


Catedral Basílica

A Catedral, juntamente com um pavilhão da antiga Faculdade de Medicina, são os últimos remanescentes do conjunto arquitetônico do colégio construído pelos jesuítas, nos primeiros anos da década de 1550. Nesse antigo conjunto arquitetônico do colégio faleceu o padre Antônio Vieira, cujos sermões levaram-no à Inquisição. Dentre as pedras tumulares está a de Mem de Sá, terceiro governador-geral do Brasil. A igreja abriga um acervo de peças dos séculos XVI ao XX, ourivesaria e prataria. 

Endereço: Praça 15 de Novembro, s/n, Terreiro de Jesus /Centro Histórico
Telefone: (+55 71) 3321-4573
Visitação: segunda-feira a sábado, das 8h30 às 17h30. Domingo, das 13h às 17h
Entrada: R$3,00 


Ordem Terceira de São Francisco

O templo foi construído o a partir de uma primitiva igreja de 1644 que abrigava a Ordem Terceira dos Franciscanos. Junto com o convento e, a Igreja de São Francisco, forma um dos mais monumentais conjuntos arquitetônicos da cidade, além de ser considerada como uma das principais referências do Barroco no Brasil. 

Endereço: Rua da Ordem Terceira, s/n, Centro Histórico
Telefone: (+55 71) 3322-8306
Visitação: diariamente, das 9h às 17h
Entrada: R$5,00


Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos

Marco da arquitetura colonial exclusivamente dedicada aos escravos, a Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, no Pelourinho, tem história originada no século XVI, a partir da veneração da imagem de uma santa pelos afrodescendentes. Ainda hoje a missa tem atabaques e outros elementos afrodescentedentes em sua celebração.

Endereço: Praça José de Alencar, Largo do Pelourinho/Centro Histórico
Telefone: (+55 71) 3241-5781
Visitação: segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Sábado, das 8h às 12h
Entrada: R$2,00


Igreja e Convento de São Francisco

Conhecida popularmente como a “igreja de ouro”, por possuir cerca de meia tonelada da preciosidade no seu interior, a decoração do templo é um exemplo do barroco da primeira metade do século XVIII e encanta por realizar o ideal da igreja dourada que surgiu em Lisboa e Goa no fim do século XVII. O convento, ainda em uso, com dezenas de celas, foi construído em torno de um claustro quadrado, tem um sub-solo e dois pavimentos sobre o nível da rua. O nível superior possui um passeio aberto em forma de galeria com vigamento aparente e coberto por telhas, e os níveis inferiores são abobadados e arcados. O modelo se inspira nos claustros portugueses do século XVI. Sua decoração mostra ricos painéis de azulejo, parte deles criada por Bartolomeu de Jesus em meados do século XVIII, e que mostram cenas e inscrições moralistas diversas, retiradas do livro Teatro Moral da Vida Humana e de toda a Filosofia dos Antigos e Modernos, ilustrado com estampas de Otto van Veen, que foi mestre de Peter Rubens.

Endereço: Praça Anchieta, s/n – Pelourinho
Telefone: (+55 71) 3322-6430
Visitação: Segunda-feira, das 9h às 17h30. Terça-feira, das 9h às 16h. Quarta-feira a sábado, das 9h às 17h30. Domingo, das 10h às 15h
Entrada: R$5,00


 

Igreja e Convento da Ordem Terceira do Carmo

A Ordem Terceira do Carmo foi instituída na Bahia em 1636, sendo apenas de 1709 o início da construção da igreja, que forma um monumental conjunto arquitetônico com o convento e igreja do mesmo nome. A atual igreja, contudo, é posterior a 1788, quando um incêndio destruiu aquela primitiva, sendo inaugurada em 1803 e concluída em meados daquele século. Em alvenaria de pedra e tijolo, o edifício atende a um vasto programa arquitetônico que, além de igreja, compreende sacristia, casa da mesa, casa dos santos, ossuário, galerias etc. Seu partido segue a planta típica das igrejas matrizes setecentistas, com nave única com coro, corredores laterais superpostos por tribunas e sacristia transversal no fundo da capela-mor. A igreja e casa da Ordem são contornadas por galeria envidraçada. Sua fachada, concluída em meados do século XIX, em estilo rococó tardio, apresenta janelas tipo D. Maria I e torres terminadas com elementos ascendentes, de feição um tanto antiquada para a época. Sua técnica construtiva, contudo, mostra-se apurada com largo emprego de abóbadas de berço e de aresta. No interior neoclássico, destaca-se a imaginária, com obras atribuídas a Francisco Xavier Chagas, o "Cabra" - Nossa Senhora com Menino Jesus e Cristo Morto.
Desde a década de 1970, o Convento vem tendo uma atribuição hoteleira por falta de frades suficientes. Por conta da localização no Centro Histórico de Salvador, o Hotel Pestana do Convento do Carmo é uma repetição do que acontece na Europa, onde hotéis de luxo são instalados em prédios históricos.


 

Mosteiro de São Bento

O Mosteiro de São Bento da Bahia é o primeiro mosteiro beneditino das Américas, fundado em 1582. Sua biblioteca guarda milhares de obras raras e seu belíssimo coral parece mesmo divino. Seu acervo sacro é imenso e magnífico.

O primeiro prédio do mosteiro de São Bento, em Salvador, foi construído no final do século 16. O atual, foi iniciado na segunda metade do século 17.

Em 1575, o frei beneditino Pedro de São Bento Ferraz chegou em Salvador com a missão de fundar o mosteiro. As instalações incompletas começaram a ser habitada pelos frades em 1584. Foram ocupadas pelos holandeses em 1624, durante a invasão de Salvador, quando saquearam e destruíram o edifício. O monge arquiteto Frei Macário de São João fez o projeto do novo prédio, em estilo neoclássico. As obras foram iniciadas no século 17 e concluídas no final do século 19. O altar-mor da igreja primitiva foi transferido para a Igreja de Monte Serrat. Um novo altar em mármore foi construído.

A história do Mosteiro está ligada à história da Bahia. No século 17, serviu de enfermaria durante o período da peste espanhola. No século 18, acolheu os vitimados da Guerra de Canudos. Em 1982, a igreja do Mosteiro foi elevada a condição de Basílica Menor de São Sebastião pelo Papa João Paulo II.

Salvador DestinationSalvador da BahiaUnesco - Cidade da MúsicaPrefeitura de SalvadorICCAUnedestinos